Olimpíada Internacional Matemática Sem Fronteiras – Faça parte deste desafio!

Alunos de escola pública são destaques no cenário científico com método de implementação psicológica

Uma experiência colocada em prática na escola Enéas Olímpio da Silva, em Iracema/CE, surgiu por meio de investigações referentes ao público à qual se destina este projeto, percebemos que são muitos os fatores que influenciam o ensino / aprendizagem e torna-se importante uma reflexão epistemológica relacionada ao percurso percorrido pela Psicologia em busca da sua definição como ciência. Recuperar tal trajetória, que sempre esteve ligada às visões de mundo e de homem dominantes em cada momento histórico da sociedade, é condição essencial à compreensão do contexto de emergência do behaviorismo e dos tipos de demanda que a Psicologia procurou superar até chegar ao estágio de evolução em que se encontra na atualidade. “Sintomas da destruição do Ser: O desenvolvimento da Teoria behaviorismo no método de implementação psicológica na sintonia dos fenômenos linguísticos em termos de estímulos do conhecimento na reprodução de idéias”.

Conforme o aluno autor da pesquisa: Emanoel Brunio, “a idéia do behaviorismo é simples de ser formulada: é possível uma ciência do comportamento”. Tal argumento, explica ele, fundamenta-se no fato de que – apesar das controvérsias sobre o sentido de “ciência” ou de “comportamento”, incluindo questões sobre “se a ciência do comportamento dever ser a psicologia” ou “se a psicologia é uma ciência” – “todos os behavioristas concordam que pode haver uma ciência do comportamento”. Julia Almeida (Co-autora) ressalta que: “um conjunto de idéias sobre essa ciência chamada de análise do comportamento, e não a ciência ela própria, o behaviorismo não é propriamente uma ciência, mas uma filosofia da ciência”. Como filosofia do comportamento, entretanto, aborda tópicos que muito prezamos e que nos tocam de perto: por que fazemos o que fazemos e o que devemos e não devemos fazer.

Nesse sentido, objetivamos assim propiciar uma visão integral que permita ajustes em decorrência das transformações do desenvolvimento da Teoria behaviorismo na reflexão epistemológica relacionada ao percurso percorrido pela Psicologia em busca da sua definição.

O projeto tem sido apresentado com sucesso, em feiras científicas pelos os alunos: Emanoel Brunio (autor do projeto) e Julia Almeida (Co-autor), sob a orientação do professor Railson Queiroz.

A primeira participação em 2017, ganhando credenciais para representar o Ceará na INFOMATRIX em Lages/SC 13 a 17 de setembro, na FENECIT, em Olinda/PE em setembro 27 a 01 de outubro.

De acordo com o professor Railson Queiroz, essa pesquisa tem sido motivo de muito orgulho e satisfação para a escola, pois além de contribuir para facilitar a vida dos discentes no âmbito escolar, com o êxito na finalização dessa pesquisa poderá haver o fornecimento de um novo método de implementação psicológica na sintonia dos fenômenos linguísticos em termos de estímulos do conhecimento na reprodução de idéias.

Conheça melhor o projeto:

PROJETO CIENTÍFICO: Sintomas da destruição do Ser: O desenvolvimento da Teoria behaviorismo no método de implementação psicológica na sintonia dos fenômenos linguísticos em termos de estímulos do conhecimento na reprodução de idéias.

RESUMO: No que se segue apresentamos uma reflexão que procuram centrar-se numa epistemologia das relações dos processos de ensino-aprendizagem como fundamentação de mediações possíveis para o ensino na perspectiva de fundamentar uma Neurodidática. Situamos a compreensão que temos na relação que se estabelece entre a didática, os métodos de implementação psicologia no ensino aprendizagem. Segundo Altet(1999), a aprendizagem é sempre o objetivo do ensino, embora nem sempre seja obtida pelo ensino. Objetivamos assim propiciar uma visão integral que permita ajustes em decorrência das transformações do desenvolvimento da Teoria behaviorismo na reflexão epistemológica relacionada ao percurso percorrido pela Psicologia em busca da sua definição. Conforme pontua Baum (1999) “a idéia do behaviorismo é simples de ser formulada: é possível uma ciência do comportamento”. Tal argumento, explica ele, fundamenta-se no fato de que – apesar das controvérsias sobre o sentido de “ciência” ou de “comportamento”, incluindo questões sobre “se a ciência do comportamento dever ser a psicologia” ou “se a psicologia é uma ciência”. A  metodologia tem  como base o realismo. O realismo defende a idéia de que há um mundo real, que ocorre no mundo real, sendo que é a partir desse mundo real externo – objetivo – que constituímos o nosso mundo interno – subjetivo. Nesta relação nem sempre se aprendem e nem sempre se ensina. Não queremos entrar no mérito desta questão, mas afirmar que, apesar disso, toda a instituição escolar e suas relações coloca-se na relação como o saber. Portanto, apresar de todos os problemas enfrentados pelos sintomas dos fenômenos linguísticos, todas as pessoas que estão na instituição só “ existem” por conta desta relação do estimos do conhecimento na reprodução de ideias.

De autoria de Emanuel Brunio Santana Silva e Julia Almeida orientados pelo Professor Railson Fredson da Silva Queiroz na Escola: Enéas Olimpio da Silva no município de Iracema-CE.

Texto e informações: Railson Fredson da Silva Queiroz


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Zootecnista pela Universidade Federal de Santa Maria – UFSM                               Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

Delegação brasileira inicia jornada até o Encontro de Ciência e Tecnologia em Ambato

A fins de participar do 7º Encuentro Latinoamericano de Proyectos Empresariales, Ciencia, Tecnología e Innovación, os representantes do Brasil chegaram a Quito na tarde de quarta-feira (18). O grupo é formado por 6 estudantes de ensino fundamental e dois de nível superior, que acompanhados por dois professores formam a delegação brasileira. A viagem da delegação dentro do Equador, iniciou às 3:00 desta quinta-feira. O aeroporto de Tababela foi o destino escolhido pela organização do evento para receber os brasileiros e fazer o traslado oficial até a cidade de Ambato. Aproximadamente às 5:30 se realizou o check-in da delegação, formalizando sua chegada.

A atividade central do dia foi o traslado até o local do evento para montagem e preparação dos stands, onde também já se encontravam as outras delegações.

A equipe brasileira esteve cerca de duas horas organizando os seus stands, além de que, aproveitaram para fazer vários ensaios das apresentações dos respectivos trabalhos. Brasil é um dos 8 países latino-americanos que integram o encontro. A delegação está bastante entusiasmada pela ocorrência do evento e pronta para demonstrar e intercambiar os seus conhecimentos com as centenas de convidados que espera-se que visitem a feira.


Texto: Jean Sotomayor


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Zootecnista pela Universidade Federal de Santa Maria – UFSM                               Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

OIMSF – O dia da prova chegou!

Projetos brasileiros são premiados durante festival na Escócia – EISF 2018

Encerraram ontem, dia 15, as atividades das equipes brasileiras no Edinburgh International Science Festival (EISF) com a apresentação dos projetos na Mini Maker Faire, uma das inúmeras atividades do EISF, que é um dos mais prestigiosos e tradicionais festivais científicos do mundo e o maior da Europa.

Todos os grupos foram avaliados pela comissão científica do evento e dois deles receberam uma placa de distinção em homenagem ao sobressaliente desempenho obtido durante a feira.

Conheçam os premiados:

  • Prosthetic foot in low cost carbon fiber – Protése de pé em fibra de carbono de baixo custo

De autoria dos estudantes André Ricardo Pacoff, Avelino Dietriech e Nelson de Oliveira Filho, orientados pelas Profas. Marlene Ludwig de Oliveira e Vania Ghellar Brun, da Escola Estadual de Ensino Médio Pedro Meinerz – Santa Rosa – RS.

Conheça detalhes do projeto clicando aqui! 


  • Heart Rate Monitor for Sleepwalkers – Medidor Cardíaco para sonâmbulos

De autoria da estudante Nathália Souza de Oliveira, orientada pelo Prof. Rafael Assenso, da Escola Estadual Alexandre Von Humboldt São Paulo – SP.

Conheça detalhes do projeto clicando aqui!


A Rede POC parabeniza os premiados e a todos os participantes brasileiros pela brilhante participação no evento!


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Zootecnista pela Universidade Federal de Santa Maria – UFSM                               Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

Projeto “A Matemática da Biodiversidade”, de escola pública de MG representará o brasil no Equador! Conheça

Seis estudantes do 7º. Ano do Ensino Fundamental do Centro Pedagógico da UFMG, de Belo Horizonte, MG, premiados na FEBRAT 2017 – Feira Brasileira de Colégios de Aplicação e Escolas Técnicas – iniciativa do Museu Ponto da UFMG – representarão o Brasil em Ambato, província de Tungurahua, Equador, de 19 a 21 de abril próximos no 7º Encuentro Latinoamericano de Emprendimientos, Ciencia, Tecnología e Innovación.

O Centro Pedagógico é uma escola pública de Ensino Fundamental localizada dentro da UFMG. Os estudantes dos cursos de licenciatura da UFMG podem fazer estágio nessa escola e realizar projetos onde aplicam o conhecimento adquirido na UFMG com os estudantes da escola e aprimoram suas habilidades para se tornar futuros professores. Um desses projetos tem como objetivo estimular, entre crianças de 11 e 12 anos, a discussão sobre a interferência humana na natureza. Intitulado “A Matemática da Biodiversidade”, consiste em uma comparação de dois ambientes localizados dentro da UFMG: a mata que fica entre o Centro Pedagógico e o CAD II e o gramado da Faculdade de Educação e ocorreu em três etapas:

– Etapa 1: colocação de armadilhas para captura de insetos nos dois ambientes;

– Etapa 2: coleta, contagem e identificação dos insetos a nível de ordem;

– Etapa 3: análise dos dados com a utilização de ferramentas matemáticas.

Com esse projeto, os envolvidos debateram sobre ecologia, sobre o processo de se fazer ecologia, a utilização de animais em experimentos científicos e a importância da matemática como ferramenta científica. O projeto também foi uma oportunidade de crianças participarem na prática de uma pesquisa científica e verem de perto os resultados das ações humanas na natureza, todos os 15 estudantes (Adriene de Almeida Oliveira, Emilly Cristina Souza de Sena,Larissa Nunes Siqueira, Nathalia L. Matos do Espirito, Pedro Mendonca G Gomes, ViniciusSouza Mendes, Arthur Ferreira Alves Pereira, Bernardo Henrique T. Silva, Bruno Meireles A.Coelho, Camila Will da Silva, Gabriel Lucas F. S. Brugnara, Lavinia Fernandes Carvalho, LuannaOliveira Souza, Pedro Henrique do C Souza e Rafael Soares Silveira) do Centro Pedagógico participaram de todas as etapas orientados pelos professores Vinícius Silva Ferraz, Heitor Felipe Lopez de Castro, Elaine Soares França e Luiza Coutinho Martins.

Dois deles nos explicam no vídeo abaixo o desenvolvimento do trabalho e como fizeram pra arrecadar verbas para viabilizar a viagem do grupo:

Fonte: Heitor Felipe – Kickante.


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Zootecnista pela Universidade Federal de Santa Maria – UFSM                               Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

Projeto do Centro Pedagógico – UFMG premiado na FEBRAT 2017 representará o Brasil em feira internacional no Equador

Seis estudantes do 7º. Ano do Ensino Fundamental do Centro Pedagógico da UFMG, de Belo Horizonte, MG, premiados na FEBRAT 2017 – Feira Brasileira de Colégios de Aplicação e Escolas Técnicas – iniciativa do Museu Ponto da UFMG – representarão o Brasil  em Ambato, província de Tungurahua, Equador, de 19 a 21 de abril próximos no 7º Encuentro Latinoamericano de Emprendimientos, Ciencia, Tecnología e Innovación.

O evento é uma iniciativa da Cooperativa de Ahorro y Crédito “Cámara de Comercio de Ambato” – Banco Regional Equatoriano – e de seu Programa Aprender a Empreender de estímulo ao empreendedorismo entre a juventude equatoriana. Tem como objetivo impulsionar a integração educativo-cultural dos jovens latino americanos através do compartilhamento de experiências próprias desenvolvidas sem suas escolas com foco no empreendedorismo e na inovação. Atualmente esta feira é um dos principais eventos latino-americanos para empreendedores pré-universitários e contará com a participação de projetos de estudantes da Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica, México, Panamá, Peru e Uruguai.

A equipe é composta pelos alunos Adriene de Almeida Oliveira, Emilly Cristina Souza de Sena,Larissa Nunes Siqueira, Nathalia L. Matos do Espirito, Pedro Mendonca G Gomes, ViniciusSouza Mendes, Arthur Ferreira Alves Pereira, Bernardo Henrique T. Silva, Bruno Meireles A.Coelho, Camila Will da Silva, Gabriel Lucas F. S. Brugnara, Lavinia Fernandes Carvalho, LuannaOliveira Souza, Pedro Henrique do C Souza e Rafael Soares Silveira que orientados pelos professores Vinícius Silva Ferraz, Heitor Felipe Lopez de Castro, Elaine Soares França e Luiza Coutinho Martins desenvolveram o projeto.

 Conheça o projeto da equipe brasileira: “A matemática da biodiversidade.”

“A presente pesquisa foi pensada no âmbito da VII FEBRAT com o intuito de averiguar possíveis consequências da ação humana sobre a diversidade de insetos de áreas próximas através de índices de biodiversidade, demonstrando a importância da matemática como ferramenta para a compreensão da realidade biológica. O trabalho foi realizado em um agrupamento de 15 estudantes de 11 a 13 anos do Centro Pedagógico da UFMG localizado em Belo Horizonte/Minas Gerais/Brasil. Foram analisados dois ambientes com diferentes graus de antropização e graus de cobertura vegetacional, uma mata localizada ao fundo da escola e um Campo de Futebol próximo à Faculdade de Educação/UFMG. Em cada ambiente foram instaladas três armadilhas do tipo pitfall que foram deixadas durante uma semana no período de seca (Agosto/2017) e no período chuvoso (Fevereiro/2018). Os insetos foram escolhidos como bioindicadores pela grande diversidade que apresentam e pela facilidade de coleta em relação a outros grupos animais. Os animais foram fixados e armazenados em álcool 70%. A identificação foi realizada com análise em lupa estereoscópica e uso de chave dicotômica simples, elaborada pelos coordenadores. A riqueza de ordens de insetos foi analisada para cada ambiente, em cada época do ano e foram calculados os índices de diversidade alfa, beta e gama. Foram coletados, na estação seca, 1689 espécimes, sendo a ordem Hymenoptera a mais abundante em ambos os ambientes. O número de indivíduos coletados foi maior no gramado devido à grande quantidade de formigas em um dos pontos, o que pode representar certo desequilíbrio. Os indivíduos coletados pertenciam a 10 ordem, sendo 9 amostradas na mata e apenas 5 no gramado. O índice de diversidade alfa foi maior na mata (αgramado=5; αmata=9), o que reflete sua maior riqueza e o índice de diversidade beta foi maior no gramado (βgramado=2; βmata=1,1), demonstrando menor heterogeneidade na composição de sua biota. Os resultados mostram uma maior biodiversidade de insetos na Mata, local menos alterado pelo homem e com maior heterogeneidade ambiental. Os métodos empregados nesse estudo não são o bastante para afirmar quais são os motivos que causaram essa diferença de diversidade, mas serviram para mostrar aos alunos do Centro Pedagógico algumas das consequências da atividade humana na natureza. O trabalho se mostrou de relevância por aliar a matemática e a biologia, ampliando o repertório descritivo dos alunos que passa de uma abordagem apenas qualitativa para a inclusão de dados e análises quantitativas na descrição da realidade biológica. Além disso, a proposta executada proporcionou uma vivência que se enquadra nos princípios e na metodologia de ensino da educação para a sustentabilidade já que possui relevância local, propiciando aos estudantes inserção e conscientização sobre os territórios que ocupam, se apoia em uma visão interdisciplinar e holística, propõe o desenvolvimento de valores, pensamento crítico e capacidade de resolução de problemas, usa uma metodologia múltipla e inclui os educandos na tomada de decisões.”

A equipe embarca para o Equador na terça feira, 17 de abril, acompanhada pelo Diretor Acadêmico da Rede POC, Prof. Ozimar Pereira.


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Zootecnista pela Universidade Federal de Santa Maria – UFSM                               Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

Diretora da E.E. Dr. José A. Mendes faz relato da importância dos eventos científicos para sua escola

A princípio a inscrição nas Olimpíadas Matemática sem Fronteiras para nós era apenas uma forma de aproveitar a oportunidade de realização de avaliações com um banco de questões diferenciadas  para incentivar os alunos a melhorar o conhecimento em matemática. O trabalho já vinha sendo intenso com o Plano de Intervenção Pedagógica, sempre focado no PROEB/SIMAVE – Sistema Mineiro de Avaliação da Educação Básica. Tínhamos consciência do trabalho desenvolvido, mas imaginávamos, diante do nível das questões, que nossos alunos alcançassem resultados tão expressivos nas provas realizadas, talvez porque nosso foco estivesse em outros resultados ou seja no SIMAVE.

A Rede POC trouxe não só um banco de questões para desenvolvimento de um trabalho. Trouxe também a oportunidade de alçar vôos com busca de novas conquistas.

Alcançar as medalhas foi o primeiro passo e ajudou a elevar a auto estima dos nossos alunos. Daí, veio o desafio maior, adquirir recursos para viagem uma vez que não obtivemos resposta do governo do Estado. Iniciamos, então, uma “peregrinação”. Montamos um projeto de lançamento de um livro e para compô-lo criamos as páginas de ouro, com o objetivo de alcançar recursos da comunidade para garantir a participação de nossos alunos.

A cada contato com amigos, professores, empresários, órgãos públicos: Prefeitura, Policia Militar e Civil e outros e ainda diversas entidades, acendia uma nova chama de ânimo e muito otimismo. As contribuições foram chegando de pouco a pouco e percebemos o quanto nossa comunidade está carente de resultados positivos, principalmente no tocante aos jovens.

Com muito esforço e muita determinação conseguimos concretizar o sonho que deixou de ser só da escola, para ser da nossa cidade, pois tudo que se ouvia era vai dar certo!  Vocês vão conseguir.

E assim foi. Conseguimos.

Em Lucknow, nossos alunos participaram de várias provas, conseguiram medalhas em uma delas e foram classificados para concorrer na Tailândia em 2018.

Agradecemos a Rede POC o incentivo e a oportunidade ímpar de representar o Brasil numa competição tão importante como essa. Agradecemos também a todos que acreditaram em nosso projeto.

Iniciaremos agora nova etapa, firmes e parceiros dessa equipe que nos proporcionou tão valorosa conquista.

Elzelene Santos Soares de Sá- Diretora da E.E.Dr. José Americano Mendes


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Zootecnista pela Universidade Federal de Santa Maria – UFSM                               Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

Depoimento da aluna Ranya Gabrielle sobre a Viagem à Índia através da OIMSF

Meu nome é Ranya Gabrielle, tenho 15 anos, sou aluna do 9º ano da E.E. Dr. José Americano Mendes Taiobeiras MG.  Juntamente com meus colegas Vittor e Fabiana, participei do confluence 2017, que foi realizado em Lucknow na Índia. Tive essa oportunidade incrível, devido a conquista de medalha de ouro nas olimpíadas Internacionais de Matemática sem fronteiras. Os reconhecimentos  começaram antes mesmo de chegar a Índia. Uma das coisas que gostei foi ter conhecido o Grupamento de Fuzileiros Navais de Brasília, assim como muitas outras oportunidades que tivemos.

Ao chegarmos a Índia, fomos recebidos por Vinicius Ramos, diretor na empresa  Rede POC que nos auxiliou durante as competições e passeios pelo país. Sobre as provas que fizemos lá, muitas foram provas de habilidades e voltadas para a paz no mundo, passamos também, por uma prova contendo 100 questões, todas em inglês, sendo de Matemática, Química, Física e Biologia. Isso nos mostrou que devemos dar a devida importância a tudo, pois a matemática me proporcionou essa grande conquista, mas me mostrou que devemos ser bons em outras coisas também. Conhecer outro país foi incrível e apesar de ter conhecido lugares lindos e aprendido muito com os indianos, passei a reconhecer o lugar em que vivo, país incrível, de cultura riquíssima e de uma comida maravilhosa. Sou muito grata a todos os meus professores e a Escola Estadual Doutor José Americano Mendes, mas principalmente a Deus e aos meus pais que sempre me apoiaram em tudo.

“Acredite em seu potencial e terá grandes oportunidades na vida”.

Ranya Gabrielle, E.E. Dr. José Americano Mendes – Taiobeiras/MG


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Zootecnista pela Universidade Federal de Santa Maria – UFSM                               Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

Depoimento dos alunos do colégio FAAT de Atibaia- SP sobre o IYCCE 2017 – Índia

De 28 a 31 de outubro de 2017  vários estudantes brasileiros, selecionadas pela Rede POC, participaram em Lucknow, India, da IYCCE 2017 – International Youth Convention on Commerce and Economics.

O evento é considerado a mais importante competição internacional para estudantes da educação básica voltada para a Economia, o Empreendedorismo, a Gestão de Negócios e o Marketing, idealizada pela City Montessori School. Inspiradas no Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI (Relatório Delors), que propõe que a Educação neste século deve se basear em 4 pilares: aprender a conhecer, aprender a fazer, aprender a viver juntos e aprender a ser.

Confira o depoimento dos alunos e Professor do colégio FAAT de Atibaia – SP:

Aluna: Mariana Ibrail Verde Selva:

“Foi muito interessante ver outras culturas e conviver por alguns dias com jovens de outros países. Percebi que somos muito acomodados e não nos interessamos em conhecer outras culturas. Participar desse evento me tornou uma pessoa muito mais interessada em aprender cada vez mais e querer ir muito além de onde acreditava poder chegar.”


Aluno Rogério Marcos Montero Araujo:

“Eu me senti um átomo num grande organismo, um grão de areia numa praia! Nunca participei de algo tão grande assim. Foi um salto muito enorme na minha vida. Academicamente me motivou, me mostrou que não podemos ficar acomodados. Pude conviver com pessoas de muita excelência acadêmica nesses dias e isso me motivou a melhorar meu desempenho e resultados ainda mais.”


Aluna Maria Gabriela Rodrigues:

“A participação nesse evento me fez ver o quanto estudar economia é importante. Nós brasileiros, não nos importamos muito com isso. Talvez essa seja até uma explicação para como anda a economia em nosso país. A disciplina de Economia deveria ser obrigatória em todas as escolas brasileiras. Vi uma grande diferença de ensino, a respeito desse assunto comparando diversos países que participaram do evento. O evento me fez ver o quão é importante ter interesse pela economia do nosso país e infelizmente a maioria dos jovens não ligam para isso. Essa experiência me fez dar importância para coisas que antes não dava.”


Aluno Caique Labiapari Silva:

“Fiquei chocado com muitas coisas que vi! Tive a oportunidade de ver uma realidade muito diferente da nossa. E isso me fez valorizar, muito, coisas que antes não dava valor. Com certeza toda essa experiência irá trazer um grande diferencial para minha vida pessoal e profissional.”


Professor Leandro Lunardi Silva

“Foi uma experiência única e muito interessante! Tivemos a oportunidade de ter contato com outras culturas e pessoas de diferentes nacionalidades. O evento nos propôs diversos desafios, onde pudemos testar nossos conhecimentos. Os alunos ficaram encantados com todas as situações que foram propostas e fizeram vários amigos. O colégio que sediou o evento é muito bem estruturado, organizado e nos recebeu muitíssimo bem.”


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Zootecnista pela Universidade Federal de Santa Maria – UFSM                               Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

Olimpíada Internacional Matemática sem Fronteiras – Estão se preparando?