O que move o mundo? As perguntas!

Já é sabido que a curiosidade e a capacidade de fazer perguntas são fundamentais para o desenvolvimento intelectual das pessoas. É aí que as feiras de ciências têm um papel fundamental na busca pelo conhecimento, dinamizando o processo de ensino e despertando o interesse nos estudantes. Do começo ao “fim” do processo de elaboração de um trabalho para uma feira de ciências muita coisa acontece, nos primórdios a montagem de uma equipe, busca pelo tema de interesse, divisão de tarefas e no decorrer do projeto muito estudo, trabalho em equipe, determinação e persistência. Acreditar no potencial do trabalho e colocar muita energia nisso certamente é uma das determinantes do sucesso da pesquisa.

Mas as ideias não aparecem somente quando queremos, pelo contrário, segundo o neurocientista Estanislao Bachrach as melhores ideias surgem em momentos de relaxamento e são fruto de todo o conhecimento prévio que temos, ao “fabricar” uma ideia o cérebro faz associações de coisas que nada tem a ver entre si e então uma ideia criativa pode surgir. Sabendo como se formam as ideias criativas é possível inclusive “treinar” a criatividade e é bastante comum que crianças e jovens sejam mais criativos que adultos, já que estes últimos costumam pensar sempre pela mesma “rota”. Ficou curioso? É um bom começo!

Como já sabemos, é muito importante treinar a criatividade e conhecer várias ideias criativas pode ser um bom insumo para que suas próprias ideias comecem a aparecer!

Conheça alguns sites onde há desde sugestões de projetos científicos básicos até algumas experiências bem avançadas:

Science Buddies: São mais de mil ideias, todas separadas por diferentes áreas da ciência para facilitar a busca. Gosta de aerodinâmica? Experimente criar uma pipa que voa com pouco vento. Seu negócio é astronomia? Aprenda a medir o diâmetro da Lua e do Sol. Nem esportes escapam do site: há projetos, por exemplo, para comparar quantidade de eletrólitos em um suco de laranja e em bebidas específicas de reposição. O site é em Inglês, mas nada que um dicionário ou um tradutor automático não ajude a decifrar.

Education.com: Também em Inglês, tem uma interface bastante amigável, com seus 1618 projetos separados por série e avaliados pelos usuários. Entre os mais bem cotados estão um para testar os efeitos da chuva ácida em construções e do calor na propagação do som.

Scholastic: Voltado para professores, a lista reúne 40 projetos com vídeos de demonstração. Entre eles, como criar uma nuvem em uma garrafa e como evitar que um ovo quebre, mesmo atirado das alturas. A maioria não é difícil de reproduzir, mas mesmo os que são não deixam de ser interessantes para o aprendizado. Em Inglês.

Science Fair Central: O site em Inglês separa os projetos por área do conhecimento, com destaque aos projetos que envolvem energia e força. Descubra, por exemplo, qual tipo de papel cria o aviãozinho de papel perfeito, como evitar que gelo derreta e quais materiais conduzem melhor energia.

WWF: A World Wide Fund for Nature (WWF) tem uma seção dedicada a sugestões de projetos relacionados à conservação ambiental. Há experimentos com reciclagem, efeito estufa e purificação da água.

Manual do Mundo: A produtora de conteúdo especializada em entretenimento educativo reuniu ideias e passo-a-passo de experimentos de física, química e biologia. Aprenda a enxergar sua própria voz, a dar nós em pingos d’água, a fazer motores à vela e gerar energia com água, entre outros.

Para ficar ainda mais por dentro das novidades desse mundo de criatividade e inovação que são as feiras de ciências, acompanhe a Rede POC no facebook e instagram.

Vale a pena também dar uma conferida no trabalho da ABRIC – Associação Brasileira de Incentivo à Ciência – nas redes sociais: facebook.com/incentivoaciencia/ e instagram.com/_abric/

Fontes: Revista Galileu – Link aqui; Eureka Brasil – Link aqui


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *