Lembranças do Equador – Participação no Encuentro latinoamericano de proyectos productivos, ciencia, tecnología e innovación

 

DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE DE GESTÃO DE BIBLIOTECAS PARA A FUNEC

O projeto começou no Início do ano passado (2018), quando meu professor: Paulo Henrique Rodrigues, me convidou para participar de um projeto de iniciação científica (PIBIC-JR). Percebemos, juntamente com meu colega Pedro Henrique Lacerda Vasconcelos, que em nossa escola não tinha um sistema informatizado (software) para gerir o seu acervo bibliográfico. Discutimos com a gestora responsável sobre a nossa ideia. Com base nisso, definimos os recursos necessários e o banco de dados a ser utilizado.

Desde então, semanalmente, nos encontramos para desenvolver o software. Assim, a cada semana, eu desenvolvi uma parte do programa e aprofundei meus conhecimentos nas seguintes linguagens de programação: PHP, Javascript e Mysql.

Em síntese, meu projeto trata-se de um sistema informatizado, para fazer o controle de acervos das bibliotecas da Fundação de Ensino de Contagem (FUNEC). O principal objetivo é melhorar a gestão de materiais bibliográficos, facilitando o empréstimo, reserva e consulta de livros tanto para o bibliotecário quanto para leitor.

MINHAS EXPERIÊNCIAS E OPINIÕES

Minha Jornada começou em Belo Horizonte. Eu junto com os apóstolos (Pedro e Paulo) pegamos um ônibus. Saímos de BH às 14:00, chegando por volta das 22:00 em São Paulo. As 3:00, pegamos um voo em Guarulhos. Após algumas horas, estávamos no Panamá. Por fim, pegamos um voo até o Equador. As 15:30, já estávamos tomando um cafezinho em Quito.

Inicialmente não estava frio, cheguei a dizer que estava calor. Pois bem, ao final do dia, eu estaria bem enganado. Dei uma volta pelo centro histórico de Quito, lugar incrível, com monumentos grandiosos demonstrando um pouco da história e cultura do Equador. Tirei algumas fotos. Logo depois, fui comprar alguns relógios, Apóstolo Paulo comprou seis, santinho queria dar de presente para amigos e familiares. Não comprei o meu, fui educadamente expulso da loja, estava com os dólares em mão para comprar. Com a chegada da noite, o frio veio, eu me arrependi muito de dizer que estava calor.

No dia seguinte, fui as 4:00 para Ambato, foi bem tranquilo. Dormi praticamente a viagem toda. Chegando no Hotel, o coordenador da feira me recepcionou muito bem, do mesmo modo com os outros.

Todo mineiro, gosta de café e de uma boa conversa. A prosa foi ótima em todos os dias, não faltaram brincadeiras e batismos. Cada dia eu tinha um nome ou apelido diferente, fui de Salatiel, Sérgio, Santinho até Capriel. Felizmente, não era só eu, tínhamos o Minguado, Pedregrulho, entre outros. Já o café, não gostei muito, gosto mais do café tradicional, isto não foi um problema, visto que o suco e o chocolate eram deliciosos. À tarde, montei o estante e preparei a apresentação. Mas antes disso, tivemos um ensaio de quadrilha.

Todo mundo que ali estava, já tinha dançado ao menos uma vez quadrilha, inclusive eu. Não gosto muito de bailar e para fechar com chave de ouro, alguns não lembravam os passos. Enfim, já era um sinal que iria dar certo. Quando começou o ensaio, foi um passe errado atrás do outro, as risadas e piadas foram maiores que o próprio ensaio, já dizia Paulo: “Começamos bem!!”. Apesar da ironia, a frase fez sentido, pois a partir daquele momento as amizades começaram a se formar.

No dia seguinte, foi a feira. Palestras e apresentações, eu tive a oportunidade de apresentar meu trabalho para várias pessoas. Hablar espanhol, foi de imediato, o principal empecilho (recomendo que os próximos participantes vejam algumas aulas e estudem um pouco idioma). Como não tive tempo para estudar, tentei explicar de várias formas, até a mímica ajudou um pouco, mas agradeço em especial ao Dr. Google, por me ajudar nas traduções, sem ele as apresentações seriam hilárias, visto que sou péssimo na mímica. Infelizmente, meu projeto não foi premiado, mas estou muito satisfeito por participar do evento. Aprendi novas culturas, consegui conhecer um pouco de cada país que estava na feira, consegui novas opiniões e ideias para meu projeto, além de ver vários projetos inovadores.

Após a feira, fomos para o City Tour pela manhã. Passeio sensacional em Baños. Tirei várias fotos, tive a honra de ver um brasileiro botando ovo também, foram muitas risadas e memes. No ônibus, tive o privilégio de conhecer mais pessoas, todos que eu conheci foram simpáticos, em especial os brasileiros. Todos os projetos da delegação brasileira são excelentes e inovadores, são merecedores de elogios, visto o trabalho árduo que um cada fez em prol da ciência.

No dia seguinte, voltei para Quito. Participei de um city tour pela capital. Conheci o Mitad del Mundo. Lugar fantástico, ótimo para comprar lembranças da viagem, (comprei dois chaveiros, e mais tarde no centro de artesanato um chapéu). Além disso, contém um museu com experimentos relacionados a linha do equador, ou seja, a latitude em que eu me encontrava. À tarde, subi de bondinho, aproximadamente 4 600 m de altura. Como sou uma pessoa de sorte, esqueci a blusa de frio no ônibus, estava muito muito muito frio, cada passo que eu andava para tentar ver o vulcão, era uma penitencia por ter achado no início da viagem que não estava frio.(Recomendo não esquecer as blusas).

Já estava esquecendo, tivemos um karaokê também, logo após a visita da cachoeira em Baños. Foi um verdadeiro show, muito divertido, naquele momento, cada delegação mostrou um pouco de sua cultura através da música. Fiquei com vontade de visitar todos os países para conhecer mais suas tradições. Tivemos a participação ilustre de “Paulinho dos teclados”, foi um momento muito alegre, pretendo nunca esquecer este dia.

Concluindo, adorei conhecer o Equador, país fantástico, repleto de tradições e monumentos históricos, sem falar, da comida que achei bem saborosa, só perde para a de Minas Gerais (hehehehe), por ser minha primeira viagem internacional, terei ainda mais um motivo para nunca esquecer esse país. Quero agradecer a todos que me apoiaram no projeto. Em primeiro lugar, Deus, em segundo a família e aos amigos, e a rede POC por ter me dado essa oportunidade, meus agradecimentos especiais ao Rodrigo e o Vinicius.

Para finalizar, cito uma frase de Martin Luther King:” Suba o primeiro degrau com fé. Não é necessário que você veja toda a escada. Apenas dê o primeiro passo”.

Gabriel Keven Domingues de Souza, Fundação de Ensino de Contagem (FUNEC) – Unidade: RIACHO, Contagem, Minas Gerais.


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *