“Sonhar grande e sonhar pequeno dá o mesmo trabalho, e eu prefiro sonhar grande” – Depoimento de Enzo Dulius

 

Como conduzir o processo de arrecadação monetária para um projeto científico?

Sempre temos que ter em mente que nunca vai ser fácil bater grandes metas, sempre será difícil; difícil, não impossível.

Todo o processo começa com um início, este foi quando eu recebi na primeira semana de Novembro de 2018 a notícia que teria a oportunidade de participar de um fórum científico em Londres e teria que apresentar todo meu projeto em outra língua (a qual eu nunca haveria estudado realmente). O primeiro passo a se fazer é ter apoio dos familiares, explicar a situação e mostrar o que precisa acontecer para o sonho deixar de ser só imaginação e virar realidade, quando eu falei a primeira vez meu pai ainda acreditava que eu teria tudo pago e eles não teriam que se preocupar por isso. Logo depois uma surpresa ao saber que o valor que teríamos que pagar era de em média 30 mil reais.

Como somos de uma escola estadual começamos a recorrer ao meio público, mas de início sempre fomos ignorados pela secretaria do vereador, ou seja, nem chegávamos a ficar perto de quem tomaria a decisão se iríamos receber algum dinheiro de auxílio. Então começamos a movimentar meios de mídia local, como jornais, sites e até tentamos com emissoras de TV para que divulgassem nosso meio de arrecadação online e pedissem ajuda para nossa viajem representando o Rio Grande do Sul; também fizemos uma rifa que custava 2 reais e imprimimos 15.000 números, tínhamos o prazo de três semanas para vender, porém não conseguimos vender tudo, desta foi arrecadado em torno de 16.000 reais, nos dedicamos bastante para chegar a este número e tivemos grande apoio por alguns professores da escola, o que foi extremamente importante. No meio online não chegamos a 500 reais, por não dedicarmos muita atenção. Além disso ganhamos algumas contribuições maiores de até 1000 reais, mas ainda faltava um montante, e não tínhamos tempo para fazer outra promoção, então começamos a pressionar o governo novamente, ligávamos de manhã, de tarde… Revezávamos as pessoas que ligavam, para não deixar o caso morrer, até que conseguimos o restante por financiamento público. Novamente é importante ressaltar que não é fácil ter que passar por uma arrecadação tão alta, mas também não é impossível, e além disso eu tive que estudar muito a língua inglesa já que eu nunca tinha feito aulas antes. Então o desafio ainda era em dobro, mas como diz Jorge Paulo Lemann “Sonhar grande e sonhar pequeno dá o mesmo trabalho, e eu prefiro sonhar grande” então todos os esforços que realizamos se resume a isso, o tamanho do nosso sonho vai definir quem somos. E isso você vai descobrir no 61st LIYSF, em Londres.

Enzo Dulius – Escola Técnica Estadual Monteiro Lobato – Taquara/RS    Premiado na  décima FEINTEC, Feira de Inovação Tecnológica, que ocorreu dias 06, 07 e 08/11/2018.


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *