Depoimento de Pietro Grazzioli Golfeto sobre a IYMC 2018

De 2 a 5 de dezembro de 2018 uma equipe brasileira participu da IYMC na India. A IYMC  é uma competição em equipe aberta para estudantes da Educação Básica de todo o mundo (de 14 a 18 anos) com o objetivo de estimular o interesse pela Matemática e suas aplicações, desenvolver o pensamento científico e as habilidades de comunicação e de trabalho em equipe. O evento, realizado a cada dois anos, é um dos mais respeitados no continente asiático e é uma iniciativa da CITY MONTESSORI SCHOOL, uma das escolas mais renomadas da Índia e a maior do mundo em número de estudantes. Confira o depoimento do Pietro Grazzioli Golfeto do Colégio Militar de SM-RS.


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

Depoimento de Lucas Gustavo Steinke Ferreira sobre a IYMC 2018

De 2 a 5 de dezembro de 2018 uma equipe brasileira participu da IYMC na India. A IYMC  é uma competição em equipe aberta para estudantes da Educação Básica de todo o mundo (de 14 a 18 anos) com o objetivo de estimular o interesse pela Matemática e suas aplicações, desenvolver o pensamento científico e as habilidades de comunicação e de trabalho em equipe. O evento, realizado a cada dois anos, é um dos mais respeitados no continente asiático e é uma iniciativa da CITY MONTESSORI SCHOOL, uma das escolas mais renomadas da Índia e a maior do mundo em número de estudantes. Confira o depoimento do Lucas Gustavo Steinke Ferreira do Colégio Militar de SM-RS.


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

Olimpíada Internacional Matemática Sem Fronteiras – Faça parte desse desafio!

Inscrições abertas para a edição 2019 da Olimpíada Internacional Matemática Sem Fronteiras

As classes premiadas representarão o Brasil na China, no Japão e em Taiwan!

 Inscrições abertas

 Já estão abertas as inscrições para edição 2019 da Olimpíada Internacional Matemática Sem Fronteiras (OIMSF), maior olimpíada de Matemática interclasses do mundo! A OIMSF é uma competição em equipes para estudantes do fundamental I e II e ensino médio. A prova será realizada no dia 05 de abril sexta-feira, na própria escola. A ficha de inscrição está disponível no site www.matematicasemfronteiras.org.

A inscrição é gratuita para as escolas públicas e paga para as escolas particulares (R$ 289,00 como ajuda de custo – o valor é único por escola). Não há limites para a quantidade de classes das escolas interessadas em participar, mas cada classe terá um único time.

Criada em 1989 pelo Ministério da Educação da França, a competição envolveu em 2018 mais de 250 mil alunos de 29 países, sendo 80 mil brasileiros de todos os estados do país. A prova é aplicada em 10 idiomas diferentes.

No Brasil, a Olimpíada Internacional Matemática Sem Fronteiras é organizada pela Rede POC – Rede do Programa de Olimpíadas do Conhecimento – instituição cujo objetivo é estimular o interesse entre os estudantes pela Ciência, Tecnologia e Inovação.

O diretor acadêmico da Rede POC, Ozimar Pereira, explica que a OIMSF é diferente das outras competições do gênero. “A Matemática Sem Fronteiras é a única realizada por equipes, formadas nas próprias classes, não é individual como as outras”, diz.

Na opinião de Brigitte Wenner, supervisora de Matemática do Ministério da Educação da França em Strasbourg/Alsácia e presidente da Association Internationale Mathématiques Sans Frontieres, o formato da prova produz efeitos positivos sobre

a qualidade do ensino da Matemática, uma vez que estimula o trabalho em equipe na classe e a resolução de problemas abertos. “Um problema é aberto se seu enunciado é curto, não induzindo ao método de resolução, e onde muitas estratégias são possíveis para a sua resolução”, explica Brigitte.

A prova também envolve alunos do ensino fundamental I e tem uma das questões em uma língua estrangeira, a ser escolhida pela equipe, entre alemão, inglês, francês, espanhol ou italiano. As provas são dissertativas e divididas em três níveis: básico, para o fundamental I; junior para o fundamental II; e sênior para o ensino médio. Todas as escolas receberão um certificado de participação e as classes com melhor desempenho ganharão também medalhas de premiação.

Outro diferencial, aponta Ozimar, é que a prova não é direcionada apenas para alunos com altas habilidades na disciplina. “É importante as escolas e os alunos saberem que a Olimpíada não é apenas para quem é excelente em Matemática. Queremos incentivar o trabalho em equipe e desmistificar a ideia de que a Matemática é muito difícil e procurar despertar a atenção para essa Ciência essencial na formação de todo cidadão”, destaca.

As escolas com classes com classes premiadas estarão classificadas para representarem o Brasil em três olimpíadas internacionais:

– Asia International Mathematics Olympiad que ocorrerá na cidade de Yilan, Taiwan, de 2 a 6 de agosto de 2019

– World Mathematics Invitational – Fukuoka – Japão – 15 a 19 de julho de 2019

– World Mathematics Team Championship – Pequim – China – 21 a 25 de novembro de 2019

A OIMSF é a seção brasileira do evento internacional Mathématiques sans Frontières, criado pela Académie de Strasbourg, Inspection Pédagogique Régionale de Mathématiques e IREM (Institut de Recherche sur l’Enseignement des Mathématiques), órgãos ligados ao Ministério da Educação francês.

No Brasil, a OIMSF conta com o apoio oficial da Embaixada da França, do Consulado Geral da França em São Paulo e do Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed), da Universidade Metodista de São Paulo e conta com apoio na divulgação do Cenpec – Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária.

A inscrição deverá ser feita unicamente pela escola, que designará um professor como coordenador responsável. Ele deverá preencher a ficha de inscrição no site: www.matematicasemfronteiras.org

As inscrições poderão ser feitas até às 16:00h do dia 02 de abril de 2019.

Fonte: ASSCOM REDE POC                                                                          Cel/WhatsApp (11) 99458-3684                                                                                      E-mail: contato@matematicasemfronteiras.org


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

Fim de Ano Rede POC 2018 – Uma breve retrospectiva!

Um Feliz 2019 a todos, são os votos da Rede POC!

Rede POC visita o IFBA (Instituto Federal da Bahia-Campus Salvador)

No dia 23 de novembro de 2018, a rede POC representada na ocasião por Jailson Alves, esteve no Instituto Federal da Bahia-Campus Salvador em que ministrou uma reunião de divulgação de um dos seus trabalhos, a OIMSF – Olimpíada Internacional Matemática sem Fronteiras.

A OIMSF foi criada em Criada em 1989 – Estrasburgo, França pelos institutos : Inspection Pédagogique Régionale de Mathématiques ; IREM (Institut de Recherche sur l’Enseignement des Mathématiques) e Académie de Strasbourg.

No Brasil a prova é organizada exclusivamente pela Rede POC que visa aproximar o Brasil de outros  países e o interesse pela Matemática, o trabalho em equipe e a capacidade de organização, a responsabilidade compartilhada para alcançar resultados, a iniciativa dos alunos, a prática de um idioma estrangeiro, a imaginação e a iniciativa de cada um, a participação de quem não é “excelente em Matemática”.

A reunião foi um convite do Prof. de matemática Acélio Rodrigues que coordena as olimpíadas científicas na unidade. Participaram da reunião 3 professores e 7 alunos de diferentes curso do IFBA, além da participação do Prof. Weslley da Rede Adventista de Ensino de Salvador.  Na ocasião da reunião, foi possível estar discutindo com professores e alunos do IFBA a proposta da olimpíada, como ela está organizada e como é realizada, nesse momento também foi possível sanar eventuais dúvidas em relação a olimpíada em que os mesmos se mostraram bastante interessados na competição e realização da olimpíada.

Jailson Alves                                                                                                      Coordenação Programa Jovens Inovadores Rede POC


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

Rede POC no Jovens Cientistas – BA

Entre os dias 20 e 23 de novembro de 2018, foi realizado no Instituto de Biologia da Universidade Federal da Bahia o 9° Encontro de Jovens Cientistas, encontro este que tem como objetivo de divulgar as produções científicas de estudantes da educação infantil, ensino fundamental e médio da educação básica, levando-se em conta a articulação interdisciplinar do conhecimento científico e tecnológico e da inovação e é organizado pelo Programa Social de Educação, Vocação e Divulgação Científica, Departamento de Zoologia, Instituto de Biologia, coordenado pela Profa. Dra. Rejâne Maria Lira da Silva.

Com uma programação bastante diversificada, o evento contou com a participação de alunos da rede pública e privada do estado da Bahia em que expuseram seus trabalhos de pesquisa divididos em 4 eixos temáticos, sendo eles: Vida de Jovem Cientista – apresentação oral; Gabinete de Curiosidades Científicas – experimentos com pôster; Ciência Lúdica – apresentação de jogo/jogo eletrônico com pôster; Jovens Repórteres Científicos – exibição e apresentação oral de vídeo e Grande Angular – exibição e apresentação oral de fotografia.

Além disso, o evento contou com palestras, mesas redondas e apresentações culturais referente a temas atuais e destacando a semana da consciência negra ao decorrer de toda programação do evento.

Com uma metodologia bastante ativa que buscou levar atividades que envolvem a apresentação das produções dos alunos, foi possível além de perceber a curiosidade científica demonstrada pelos alunos que iriam apresentar seus trabalhos como também a dimensão dos projetos que investigam, projetos esses que favorecem a discussão em diversos temas atuais como: meio ambiente, saúde, política, alimentação e tecnologia. Os melhores projetos ganham o Prêmio Jovem Cientista em cada modalidade de inscrição, além disso, o convite para publicar seu projeto de pesquisa em forma de artigo na Revista Jovens Cientista organizada pelo evento.

Foi possível ter uma conversa com a coordenadora do evento Profa. Dra. Rejane Lira, afim de poder estar firmando uma parceria para futuras edições do evento com o intuito de estar oferecendo como premiação para os projetos avaliados credenciais aos mesmos estarem participando em eventos internacionais e que possam apresentar seus trabalhos em diversos países, criando-se assim um intercâmbio tanto científico quanto cultural.

Na ocasião, a Rede POC – Rede do Programa de Olimpíadas do Conhecimento representada por Jailson Alves – esteve inserida na programação do último dia do Encontro de Jovens Cientistas explicando e apresentando os seus trabalhos e o programa que premia e leva trabalhos brasileiros para feiras internacionais para toda a comunidade presente no evento. Nesse sentido, a apresentação foi bastante propícia pois foi possível estar fazendo um elo de discussão e troca de experiências com o público e também uma forma de divulgação dos trabalhos da Rede POC para todos os presentes.

Jailson Alves                                                                                                      Coordenação Programa Jovens Inovadores Rede POC


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

Rede POC na 24ª edição do Ciência Jovem – PE

Entre 7 e 9 de novembro de 2018 ocorreu no Shopping Rio Mar em Recife – PE, a 24ª edição do Ciência Jovem. Organizada pelo Espaço Ciência, a feira reúne jovens pesquisadores de todo Brasil e de outros países, a saber: Colômbia, México e Paraguai, tornando-se um evento de nível e relevância internacional.

O Ciência Jovem trata-se de uma feira que busca incentivar a socialização de estudos dos diversos campos dos saberes, valorizando a pesquisa científica no chão da escola de educação básica e motivando os jovens pesquisadores das diversas modalidades de ensino a ingressar no mundo da investigação ainda no período escolar. Vale à pena ressaltar, que exatamente todos os níveis de ensino tiveram a oportunidade de apresentar os resultados de seus projetos. Assim sendo, o evento possibilitou que crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos de escolas públicas e particulares pudessem apresentar seus trabalhos científicos. Vê-se desta forma que ambos estão tendo a oportunidade de fazer uma leitura de mundo partindo de uma ótica científica, privilégio historicamente das universidades, apenas.

Nesse sentido, para participar da feira, os estudantes precisaram não somente ter curiosidade científica em torno de algum assunto que pudesse ser investigado e que tivesse alguma relevância educacional, tecnológica, social, política, histórica e etc, contribuindo para inovação e fortalecimento do conhecimento na/da escola, mas, também precisaram valorizar os saberes e as vivências das pessoas que constítuem toda sociedade. Um exemplo dessa dimensão são os projetos que investigam formas de preservar o meio ambiente, que favorecem a economia de pessoas em situações de pobreza, e que discutem às políticas de formação, trânsito, saúde, alimentação e tecnologia.

Para o professor Pavão – coordenador do Espaço Ciência, a feira de ciência é uma revolução pedagógica que não é um momento, pois, quando bem feita, torna-se a melhor forma de ensinar por se tratar de um novo conceito de ensino de ciências que está atrelado aos referenciais curriculares da educação básica. O professor Pavão ainda reiterou que o Ciência Jovem em sua 24ª edição, registrou o aumento da qualidade dos projetos que tendem a melhorar nas próximas edições, alcançando e mobilizando o conhecimento e outras feiras em outros territórios do Brasil, além do estado de Pernambuco.

Em suma, independentemente das premiações para participar de feiras nacionais e internacionais, a expressão de todos que de alguma maneira participou do Ciência Jovem era de satisfação e alegria por trazer sua pesquisa até esta feira que foi consagrada como incrível, por fazer da investigação científica um lugar de fortalecimento e emancipação dos diversos saberes e das pessoas.

Mádson Francisco                                                                                                  Avaliador 24ª Ciência Jovem


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

Da escola pública do interior à Londres – Depoimento de Rodrigo Rotili

Sou Rodrigo Rotili Junior, de Coronel Bicaco, uma pequena cidade localizada na região noroeste do estado do Rio Grande Do sul, conhecida como região Celeiro (Nome esta designado por esta região ser de economia agropecuária), tenho 19 anos, e entre os meses de julho e agosto de 2018, estive participando com a delegação Brasileira  do London International Youth Science Forum, em Londres.

Minha trajetória, com a pesquisa científica, iniciou-se em 2015, quando decidi cursar meu ensino médio aliado ao curso Técnico em Agropecuária na Escola Técnica Estadual Celeiro-ETEC, situada no município de Bom Progresso-RS, uma característica deste curso é a busca constante por pesquisas e resultados, que amenizem ou solucionem problemas relacionados a produção de alimentos sustentáveis e que causem impactos positivos na comunidade local.

Em discussão com professores e colegas, no grande grupo, nos dividimos dos demais eu, Rodrigo e meus colegas Bruno Callai, Wellinton Diniz e Lucas Silva, e orientados pelo grande amigo e professor Flavio da Silva W., decidimos estudar a cultura da batata-doce, uma cultura presente na mesa de muitos brasileiros, dentro deste estudo que ocorreu durante 3 anos, nós buscamos entender o comportamento da mesma nos campos da nossa região (a qual não tem tradição de produzir batata doce), as tecnologias e alternativas para uma produção mais sustentável, e as melhores estratégias de comercialização da produção realizada pelos agricultores da região, outro ponto avaliado foi a orientação e extensão da pesquisa  fora dos muros da escola, junto a alunos e agricultores da região.

Mas todo esse trabalho foi alavancado quando iniciamos a apresentação do mesmo dentro e fora da escola, foi possível apresentar nossa ideia em 9 eventos entre 2015 e 2017, de renome regional, estadual e nacional gerando uma galeria de 6 prêmios, entre 1º a 4º lugar e 1 prêmio de destaque em iniciação científica.

Mas quando achamos que o legado dos quatro jovens pesquisadores havia se acabado, surpreendentemente recebemos o maravilhoso convite para participar do LIYSF 2018, através da Rede POC, a qual somos gratos pelo apoio dado desde a nossa organização pré-viagem, durante todo o evento e no pós-evento, já que particularmente não estava preparado para esse desafio.

Por forças do destino, meus colegas e o professor orientador, não conseguiram me  acompanhar nessa jornada, mas o apoio dos mesmos e da escola sempre esteve presente a minha pessoa (acredito que foi isso que me motivou a ir até o LIYSF)

Bom, participar do LIYSF,  pode se resumir  a esta frase de Albert Einstein “A MENTE QUE SE ABRE A UMA NOVA IDÉIA JAMAIS VOLTA AO SEU TAMANHO ORIGINAL.” Minha mente foi aberta por um evento que nos apresentou durante 15 dias cerca de 18 palestras, visitas a centros aonde se “respira ciência”, mas junto a isso poder estar presente em um País como a Inglaterra, aonde a cultura e as tradições são cobiçadas em todo mundo, ter a possibilidade de viver tudo isso, com grandes amigos do Brasil e dos países que estavam lá, poder mostrar um novo Brasil, com nossas tradições e nosso conhecimento, conhecer outras faces das nacionalidades que estavam conosco. Além dos maravilhosos passeios organizados pelo evento a pontos turísticos do Reino Unido e da cidade de Londres . Isso é pouco para descrever a minha experiência nessa jornada. O LIYSF trouxe para mim e meus colegas o RECOMHECIMENTO e um mundo antes nunca visualizado.

As vivencias desse mundo, atualmente, eu tenho passado a jovens e adultos, com palestras, entrevistas em rádios e sites de notícias. Isso tudo me traz alegria, pois posso ver o brilho nos olhos de quem me escuta, assiste ou lê sobre mim. Encho-me de orgulho quando escuto de algumas pessoas “ a região vai pra frente” , “o Brasil ainda tem jeito, quando tem jovens assim como vocês”. Essas frases vem embarcadas com a inesquecível participação do LYSF.

E para finalizar somente a agradecer a Rede POC pela oportunidade e apoio nessa jornada de dizer que  “ Toda tentativa de inspiração é válida”, essa foi a minha  tentativa em inspirar você que está lendo, a abrir os olhos ao um novo mundo de conhecimento, esse mundo chama-se International Youth Science Forum!!

Rodrigo Rotili Junior- Escola Técnica Estadual Celeiro-ETEC


Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                    Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br