Science Museum: um mundo de interação histórica, artística e científica ao dispor dos participantes do LIYSF

O Science Museum tem mais de 300 mil objetos na coleção, com itens científicos, tecnológicos e médicos datados desde 1700. É o único lugar a abrigar objetos da Revolução Industrial. Mesclando o antigo ao contemporâneo o local levou os participantes do LIYSF a se auto conhecerem, a interagirem com a arte e compreender a importância da ciência no mundo atual.

O museu, fundado em 1857, é um dos três maiores da Exhibition Road e é hoje uma das principais atrações turísticas da cidade, com cerca de 2,7 milhões de visitantes anuais. Entre seus itens preciosos estão o primeiro motor a jato, uma reconstrução do modelo de DNA de James Watson e a primeira documentação escrita em uma máquina de datilografia.

Sediado nas proximidades do Imperial College, o museu apresenta os mais diversos setores, indo da robotização espacial à neurociência. Esta foi mais uma das atividades oferecidas à delegação brasileira, que pôde ver de perto a réplica da primeira nave a pousar na lua, os primeiros geradores industriais mecanizados e as primeiras locomotivas a andarem pelo mundo.

A próxima matéria revelará os talentos dos participantes do LIYSF, que se apresentaram no International Cabaret. Não deixe de acompanhar a rotina dos participantes. É a ciência movendo o mundo. Este é um legado que a Rede POC faz questão compartilhar.

Guilherme Winter                                                                                    

Graduado em Arquitetura e Urbanismo (2017) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)
Graduando em Engenharia de Produção pela Faculdades Integradas de Taquara
Representante internacional da Rede POC
Coordenador da Delegação Brasileira no LIYSF 2017

Mais do que pesquisas, experiências de vida: o contato dos participantes do LIYSF com os profissionais das Universidades de Oxford e Cambridge

E se você pudesse estar inteirado sobre as maiores pesquisas que estão sendo desenvolvidas na Europa? E se pudesse questionar e entender cada passo de uma grande pesquisa na área que deseja atuar? Esse é um dos objetivos que levou os participantes do London International Youth Science Forum a duas das mais renomadas Universidades do mundo, Oxford e Cambridge.

Entre os departamentos visitados incluíram-se:

– Departamento de Ecologia (British Antarctic Survey)

– Departamento de Química

– Departamento de Ciências da Terra

– Laboratório de Biologia Molecular (MRC)

– Centro de Pesquisa Biomédicas (NHR)

– Instituto de Pesquisas Polares

– Instituto de Células Troncos

– Câmpus Genoma

– Centro de Energia de Fusão (CCFE)

– Departamento de Hidrologia (HR Wallingford)

– Instituto da Vacinologia

– Departamento de Neurociência

– Instituto de Arqueologia

– Departamento de Física

– Departamento de Engenharia Mecânica e Matemática

Após a visitação científica e palestras com profissionais de cada área, os estudantes puderam visitar as cidades medievais, as quais estão inseridos os distintos departamentos das Universidades. Indiscutivelmente, a experiência e conhecimento transmitido aos participantes abre a janela do saber e clareia o rumo que cada um gostaria de seguir em sua vida profissional. É como um combustível estimulante à educação que todos precisariam adquirir para identificar com êxito o caminho a trilhar. Mais do que uma lição escolar, um norteio de vida.

Guilherme Winter                                                                                    

Graduado em Arquitetura e Urbanismo (2017) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)
Graduando em Engenharia de Produção pela Faculdades Integradas de Taquara
Representante internacional da Rede POC
Coordenador da Delegação Brasileira no LIYSF 2017

Mãos na massa: participantes do LIYSF em atividade com as maiores personalidades científicas do Reino unido

A dinâmica intitulada Specialist Study Day, ocorrida no Royal Geographycal Society, em Londres, consistiu em uma atividade diferenciada que fez os participantes não apenas ouvirem ao palestrante como também mostrarem o que entenderam. A ação contou com a distribuição das delegações em diferentes grupos, conforme o programa personalizado previamente instituído. Cada grupo precisou demonstrar, através de uma apresentação criativa de 6 minutos, o seu entendimento sobre o tema principal abordado pelo profissional. Abaixo, a lista da divisão dos grupos e as temáticas propostas:

GRUPO 1: Na palestra sobre “Pragas e pessoas”, os participantes puderam conversar com o Professor Sir Roy Anderson, do Imperial College London, e aprender e discutir sobre os fatores que provocam a disseminação de novas doenças no mundo, como, crescimento populacional, poluição do ar, urbanização e consumismo.

GRUPO 2: A palestrante Dr Anna Barnard, do Imperial College London, abordou o assunto da “Interação de proteínas no corpo com o uso de drogas”, relatando que o uso provoca o ambiente ideal para a reprodução de organismos, como bactérias, vírus e parasitas, frequentemente, originando o câncer.

GRUPO 3: “Melhorando os resultados para o autismo mundial” é o tema do palestrante Professor Jonathan Green, da Universidade de Manchester. O assunto é marcado pelo dado de 1% da população mundial possuir autismo, e pelo novo método desenvolvido para o tratamento (PACT e iBASIS), que vem sendo testado no sul da ásia.

GRUPO 4: o design racional e o uso de métodos computacionais para modelagem de novos materiais são o tema central da palestra “Dos dados ao dispositivo: desenhando materiais sustentáveis para o futuro”, do Dr Matthew Dunstan, da Universidade de Cambridge.

GRUPO 5: A palestra “Energia renovável para combustíveis químicos” foi apresentada aos participantes pelo Dr Nikolay Kornienko, da Universidade de Cambridge, questionando-os como reduzir o uso de combustíveis fósseis e como capturar e utilizar fontes energéticas renováveis.

GRUPO 6: Dr Keith Mathieson, da Universidade de Strthclyde, traz sua palestra interessantíssima sobre “Uma prótese para restauração de retinas de cegos”, que impressiona com a inovação do método, ao estimular eletronicamente os neurônios.

GRUPO 7: Já o Professor Marcus Rattray, da Universidade de Bradford, aborda sobre a “O fazer medicina na modernidade”, relatando a importância de associar as inovações imergentes e explorar o meio científico.

GRUPO 8: A última palestra, “Ideias individuais, trabalhando em conjunto: a descoberta do Bóson de Higgs”, do renomado Dr Seth Zenz, do Imperial College London, atuante do CERN, aborda todas as pesquisas atuais em andamento no LHC, Acelerador de partículas e os benefícios que podem ser trazidos a população mundial.

Os participantes fizeram uso dos mais diversos recursos para demonstrar sua criatividade de interpretação dos temas aprendidos em palestra, aplicando, em sua maioria, teatros, danças e musicais. Este foi um momento singular, quando os estudantes tiveram que mostrar sua rápida interpretação e solução dos problemas levantados, e para muitos, uma questão de superação, pela necessidade de lançar ideias e defende-las argumentativamente. Fique por dentro da programação do LIYSF. A próxima matéria trará a visitação da delegação às Universidades mais renomadas da Europa, Oxford e Cambrigde, e a experiência adquirida pelos participantes brasileiros com os profissionais dos mais diversos departamentos.

Guilherme Winter                                                                                    

Graduado em Arquitetura e Urbanismo (2017) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)
Graduando em Engenharia de Produção pela Faculdades Integradas de Taquara
Representante internacional da Rede POC
Coordenador da Delegação Brasileira no LIYSF 2017

Incentivo à pesquisa leva participantes brasileiros à instituições nacionais da Inglaterra no LIYSF

E o primeiro dia do mês de agosto de 2017 foi marcado pela participação dos brasileiros em instituições científicas por toda a Inglaterra. O London International Youth Science Forum promoveu o contato dos participantes com profissionais atuantes nos maiores estabelecimentos nacionais, que vêm elaborando as principais pesquisas do Reino Unido, nos mais diversos campos de atuação.

A lista contou com a presença das seguintes instituições:

  • Airbus UK: empresa especializada no design, engenharia e suporte das asas, sistema de combustível e integração de trem de pouso de aeronaves.
  • The Animal & Plant Health Agency (APHA): agência do governo britânico responsável pela saúde de animais e plantas.
  • British Geological Survey: Estabelecimento de pesquisa do setor público britânico que compila inventários de recursos geológicos e administra recursos ambientais.
  • Cardiff University – School of Pharmacy and Pharmaceutical Sciences & Brain Research Imaging Centre (CUBRIC): Departamento da Universidade de Cardiff com tradição em inovação educacional farmacêutica, pesquisa científica e serviço profissional de farmácia.
  • Cranfield University: Intituição de Pós-graduação que atua na conexão do ensino com a indústria e o comércio.
  • John Innes Centre, Norwich Research Park: Centro de excelência em pesquisa na área de ciência das plantas e microbiologia.
  • University of Leicester Space Research Centre & National Space Academy: Departamento de ciências espaciais, com foco na observação da Terra e pesquisas baseadas em missões à Marte.
  • National Oceanography Centre (NOCS): Está entre as cinco melhores instituições de pesquisa oceanográficas do mundo.
  • Rolls Royce: Estabelecimento com a maior coleção de motores aéreos do Reino Unido. O local mescla o antigo, com maquinas originais da Primeira Guerra Mundial até o mais moderno.
  • Rothamsted Research Centre: A estação de pesquisa agrícola mais longa do mundo, fornecendo ciência e inovação de ponta, em áreas de produtividade de culturas e soluções de qualidade para produção de alimentos e energia.
  • Rutherford Appleton Laboratory: Laboratório com as maiores pesquisas do Reino Unido nas áreas de Ciências Espaciais e Astronomia, Física e Engenharia de Materiais.
  • Syngenta’s International Research Centre at Jealott’s Hill: Companhia de agricultura focada em segurança alimentar.
  • University College London, Mullard Space Science Laboratory: Este Departamento da Universidade de Londres, busca entender nosso espaço no Universo e explora cientificamente a capacidade das naves espaciais e foguetes.
  • University of East Anglia – The Tyndall Centre and the School of Environmental Sciences: É a primeira universidade britânica com dois prêmios Nobel provenientes de seus estudos com ciência alimentar e mudanças climáticas.
  • University of Essex, Human Performance Unit: Departamento voltado para suporte nutricional e laboratório de ciências esportivas, com foco na performance de atletas,
  • University of Kent, Electronics Laboratory: Departamento de design e pesquisa em eletrônicos e equipamentos de multimídia digital.
  • University of Nottingham – The School of Chemistry: Escola voltada para a mais alta pesquisa de ponta em bioquímica do Reino Unido.

Para o participante brasileiro do IFRS (RS), Leandro Sabei: “o local é inspirador para quem gosta de uma análise laboratorial. A estrutura foi toda planejada para cada laboratório. De modo que fosse utilizado os recursos naturais como o vento e a luz da melhor maneira possível. Na palestra com o Professor Peter Licence foi bem legal saber que as preocupação que eles discutem como o crescimento populacional a limitação dos recursos naturais também são discutidas no Brasil”, finaliza sobre sua visita ao APHA.

A estudante Laura da Silva Krueger, da Escola Estadual de Três Poderes (MG), compartilha o que aprendeu com a visita, dizendo que: “a Syngenta é uma empresa presente em 90 países com mais de 28 mil funcionários trabalhando com o objetivo de promover a segurança alimentar global, além de uma interação maior com comunidades rurais. Se preocupa em todos os âmbitos da produção agrícola e não só com os lucros que possam arrecadar. Foi uma experiência incrível conhecer essa multinacional”.

Segundo, o paulista Lucas Gabriel Bassan de Moraes, da Escola Técnica Novo Horizonte (SP): “o John Innes Centre é um lugar fabuloso, com um farto saber sobre plantas e microorganismos, sua variedade de livros históricos de vários cientistas mostra que por diversos anos eles tem cada vez mais buscado por conhecimento, e que graças a essas grandes façanhas podemos hoje ter a presença de diversas pesquisas para sementes e plantas”.

Nitidamente, este foi um momento no LIYSF com um alto potencialidade profissional, através do direcionamento dos participantes ao conhecimento de diferentes áreas, pelo contato direto com os maiores pesquisadores do Reino Unido. É reconfortante saber que há pessoas se dedicando à pesquisa, ao querer saber e conhecer, sempre em busca de um mundo melhor.

Guilherme Winter                                                                                    

Graduado em Arquitetura e Urbanismo (2017) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)
Graduando em Engenharia de Produção pela Faculdades Integradas de Taquara
Representante internacional da Rede POC
Coordenador da Delegação Brasileira no LIYSF 2017
E-mail: guilhermwinter@gmail.com

 

Pela primeira vez estudantes brasileiros participarão da Asia International International Mathematical Olympiad, na Malásia

Asia International Mathematical Olympiad (AIMO) é uma olimpíada de competição internacional que acontece anualmente e tem origem em Hong Kong. A competição visa aprimorar as habilidades de pensamento crítico e troca de informações entre os estudantes, além de promover o desenvolvimento cultural e educacional. É organizada pela Asia International Mathematical Olympiad Union desde 2012 e tem sido reconhecida internacionalmente com a participação de delegações de 13 países, Malásia, Singapura, Indonésia, Tailândia, Filipinas, Cazaquistão, Hong Kong, Taiwan, China, Macau, Coréia do Sul, Bulgária e Myanmar, além do Brasil que terá sua primeira participação neste ano.

A Rede POC é a responsável pela seleção dos estudantes brasileiros e nessa primeira participação teremos 3 grupos, dos estados de MA, MG e RS. São 15 estudantes e 3 professores, conheça os grupos:

Colégio Farroupilha – Porto Alegre – RS

Profa. Alessandra Dornelles

Estudantes:

David Matter Wechsler

Enzo Duarte Nunes

Gabriel Lorentz Trein

Gilberto Rossato de Medeiros Júnior

Heitor Coltro de Andrade

Júlia Pederiva Scolari

Matheus da Silva Barcelos

Pedro Koinaski de Paiva

Luiz Ernesto Besen Poli

 

Instituto Federal do Maranhão – Campus Santa Inês – Santa Inês – MA

Prof. Francisco Pessoa de Paiva Júnior

Estudantes:

Clistenys Eduardo Teixeira Batista de Sousa

Robson Luan do Nascimento

Joefton Nunes Trindade

 

Escola Estadual Maurício Murgel – Belo Horizonte- MG

Prof. Cristiano de Sousa Rodrigues

Estudantes:

Juliana Luiza Paula de Araújo

Patrick Cézar Soares

Mileny de Oliveira Peixoto

 

Os participantes, que devem desembarcar hoje (01/08) em Kuala Lumpur, serão recepcionados e acompanhados durante o evento pelo Prof. Vinícius Ramos, diretor da Rede POC. A competição inicia no dia 02 e vai até 06 de agosto, quando os grupos retornam ao Brasil.

Além do site oficial, poderá acompanhar o evento pelo Facebook e Instagram da Rede POC.

Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                     Graduando em Zootecnia da Universidade Federal de Santa Maria   Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br

A grande caça ao tesouro em South Kensington

O Great Crossword Treasure Hunt é um dos momentos mais interativos do LISYF. Através de uma dinâmica do tipo quiz, os participantes tiveram que se reunir em grupos de 10 pessoas, que precisaram ser de 5 nacionalidades e 3 continentes diferentes. O jogo consistiu em uma palavra cruzada que teve que ser respondida o mais rápido possível. A primeira equipe a entregar, com tudo correto foi considerada a vitoriosa.

A dificuldade se concentrou nas questões, que fizeram com que os estudantes buscassem informações em diversos ponto de South Kensington. Objetivo do jogo é antes de mais nada a integração entre os participantes, a cooperação e o intercâmbio cultural. Mas, evidentemente, a estratégia é fundamental entre a equipe. O LISYF estimula assim os estudantes a pensarem, planejarem e compartilharem conhecimento.

Acompanhe o andamento do London International Youth Science Forum. Somente aqui, matérias sobre o cotidiano da delegação brasileira no evento fornecidas diretamente pela Rede POC em tempo real. Não perca essa oportunidade!

Guilherme Winter                                                                                    

Graduado em Arquitetura e Urbanismo (2017) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)
Graduando em Engenharia de Produção pela Faculdades Integradas de Taquara
Representante internacional da Rede POC
Coordenador da Delegação Brasileira no LIYSF 2017
E-mail: guilhermwinter@gmail.com

FameLab LIYSF: conheça os projetos científicos que receberam destaque em 2017

Este são os 10 projetos mais pontuados, classificados durante o The Science Forum Bazaar no LIYSF 2017:

1) Cytosine to Thymine: unveiling cancer’s Achilles heel via genome – wide discovery of CpG methylation signatures (Da Citosina para a Timina: revelando o calcanhar de Aquiles do câncer através da descoberta genômica de assinaturas de metilação CpG). O estudante Norte-Americano Daniel Zhang elaborou um diagnóstico clínico com alta sensibilidade e precisão para a detecção precoce de tumores. Foi primeiro colocado na Intel ISEF 2017 na categoria de Biomedicina.

2) SCOT – Space Settlement of Tomorrow (Assentamentos espaciais do amanhã). A questão levantada pelo estudante da Argentina, Andres Eskenazi, é realmente muito importante, uma vez que já existe uma estimativa de quanto tempo a Terra existirá. Segundo ele, o povo da Terra tem todo o conhecimento necessário e recursos para colonizar o espaço. “Um futuro com assentamentos espaciais é muito melhor que sem eles”, finaliza, Eskenazi, com a famosa frase da NASA.

3) Model for Quantum Hall effect without an external magnetic field (Modelo para efeito de Corredor Quântico sem um campo magnético externo). Essa é a ideia proposta pelos participantes de Portugal, Francisco Vazão e Francisco Santos. Uma inovação na área da Mecânica Quântica, em que um sistema de elétrons bidimensionais é projetado sem a ação de um campo magnético externo induzido.

4) The Prussian Blue: an ally against the radiation and the environmental pollution (Azul da Prússia: um aliado contra a radiação e a poluição ambiental). O tema discutido pelos estudantes italianos, Marco Peletta, Fabiola Montemezzo e Luigi Albano, vem de encontro ao tema central do evento esse ano: Ciência – Tornando a vida melhor. Por que não reutilizar um corante radioativo que tem vitimado centenas de pessoas? “Impressões fotográficas e tecidos podem e devem ser reutilizados”, incentivam, os estudantes italianos.

5) The reasons motivations and health effects of vegetarianismo among Estonian students aged 15-19 (As razões e os efeitos sobre a saúde do vegetarianismo entre estudantes estonianos de 15 a 19 anos). A participante da Estônia, Beatrice Marlene Metasaorg, descobriu que os estudantes vegetarianos de sua escola estão com déficits de atenção, associados pela falta de proteínas em suas alimentações. A escola então fez uma correção nutricional do cardápio escolar através da pesquisa da estudante. Uma simples questão de observação, mas com grande impacto.

6) An onion and a garlic have declared a war on parasites – the pestilent phytoncides (Uma cebola e um alho declararam uma guerra contra os parasitas – os fitomicidas pestilentes). Como age a cebola e o alho no corpo das pessoas já é um assunto bem relevante, pelo potencial antibacteriano. E se esse potencial pudesse ser usado não como remediação, mas como prevenção? O objetivo da estudante polonesa, Aleksandra Snuzik, foi criar um produto que beneficie a saúde, através da aplicação em alimentos que serão ingeridos pelas pessoas.

7) The role of materials and surfaces in the transmission of bactéria in public spaces (O papel dos materiais e superfícies na transmissão de bactérias em espaços públicos). É tão automático, que não nos damos conta ao passar os dedos em canais de transmissão como olhos e boca, de que todas as superfícies podem estar em contato bacteriano. A aluna Camilla Hurst de Luxemburgo fala da importância de entendermos o perigo em que estamos. Ela analisou sua escola, e descobriu que o local com menos bactérias de potencial risco é o sanitário.

8) Comparison on characteristics of chinese raw Pu’er tea and ripened Pu’er tea (Comparação das características do chá Pu’erh cru chinês e do chá Pu’erh amadurecido). Yayan Tan, é o nome da Chinesa que descobriu que as propriedades do chá envelhecido são menores, mas mais eficazes ao longo do tempo. O processo consiste na fermentação microbiana e oxidação das folhas de chá, depois de terem sido secas e enroladas.

9) Tuberculosis (Tuberculose). A Índia é o país mais atingido por tuberculose no mundo e a infecção se propaga de maneira silenciosa, uma vez que “na Índia, a doença está associada à AIDS, então muito preferem morrer em casa a serem ‘taxados’ no povoado”, reflete a participante indiana, Anjali Narain. É neste momento que age sua pesquisa, atuando na distribuição de informação e quebra de paradigmas.

10) A novel method for Cooper (II) ion detection with zinc sulfide nanoparticle (Um novo método para detecção de íons de cobre (II) com nanopartícula de sulfeto de zinco). Sem uma ordem classificatória, este é o último projeto apresentado no Famelab. O taiwanês Andrew Liu elaborou um novo método para descontaminação de rios a partir do reaproveitamento do sulfeto de zinco.

A próxima matéria trará um dos momentos mais interativos do LIYSF. Não perca a cobertura completa do Great Crossword Treasure Hunt, quando os participantes terão que pôr a prova os seus conhecimentos gerais sobre Londres e o LIYSF.

 

Guilherme Winter                                                                                     

Graduado em Arquitetura e Urbanismo (2017) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos
Graduando em Engenharia de Produção pela Faculdades Integradas de Taquara
Representante internacional da Rede POC
Coordenador da Delegação Brasileira no LIYSF 2017
E-mail: guilhermwinter@gmail.com

Um pulinho em Stonehenge

Há anos que curiosos e experts tentam decifrar um dos maiores enigmas do mundo. Na localidade de Salisbury, na Inglaterra, é possível encontrar dezenas de megálitos organizados em forma circular. Alguns acreditam que se trata de um grande cemitério. Outros mencionam como um local de rituais e sacrifícios religiosos. Talvez a mais aderida opinião seja a do calendário solar para plantações. As teorias são as mais diversas para explicar como as grandes pedras de mais de 50 toneladas foram projetadas em um círculo perfeito.

Os participantes do LIYSF puderam viver essa experiência de perto. Além de visitar a cidade medieval de Salisbury, onde está a famosa Catedral de Salisbury, os estudantes puderam apreciar e conhecer um pouco mais sobre um dos sítios arqueológicos mais importantes do mundo. “O passeio em Stonehenge e Salisbury foi magnífico. Uma experiência fantástica poder estar em dois locais que significam muito para os ingleses. Poder ver a arquitetura perfeita da Catedral e tentar imaginar como Stonehenge surgiu, não tem palavras”, reflete o Professor de Matemática do Colégio Exato, de Iporá (GO), Amarildo Júnior (foto abaixo).

Os alunos ainda tiveram a oportunidade de ficar frente a frente com a famosa Carta Magna, uma das primeiras “Constituições” do mundo e único documento da história que obrigou um governante a perder poderes. A estudante brasileira, Jennifer Craco (foto abaixo) do Colégio La Salle do Carmo, de Caxias do Sul (RS) cita a importância memorável deste momento em sua vida: “Visitar Stonehenge e Salisbury é como entrar em uma máquina do tempo. Não são só pedras, são mistérios; não são só casas, são lembranças; não são só lugares, são história viva”.

O colega da estudante Jennifer, Alisson Gomes (foto abaixo) também revelou o impacto que o LIYSF vem causando em sua história. “Certamente um dos melhores passeios que já fiz; é incrível como apenas algumas rochas em círculo conseguem produzir tanto mistério e formar uma paisagem de tamanha beleza, exclusiva de Stonehenge”, revela o gaúcho de Caxias do Sul.

A Rede POC tem orgulho de estar apoiando esses jovens brasileiros a buscarem conhecimento e compartilhar experiências de vida, que incentivam cada vez mais o crescimento da educação brasileira.  Acompanhe o dia-a-dia dos participantes brasileiros no London International Youth Science Forum através das matérias produzidas pela Rede POC. Esse é apenas um dos muitos extraordinários momentos que ainda estão por vir.

Guilherme Winter                                                                                    

Graduado em Arquitetura e Urbanismo (2017) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)
Graduando em Engenharia de Produção pela Faculdades Integradas de Taquara (FACCAT)
Representante internacional da Rede POC
Coordenador da Delegação Brasileira no LIYSF 2017
E-mail: guilhermwinter@gmail.com

 

O London International Youth Science Forum começou!

Iniciou essa semana, no dia 26 de julho a 59ª edição do LIYSF – London International Youth Science Forum. Ao todo são 67 países participantes, ao quais o Brasil se integra. Representado por 8 diferentes estados, os 19 participantes da Delegação Brasileira, assessorados pela Rede POC, estão vivenciando trocas de experiências enriquecedoras nos mais diversos campos científicos através dos mais renomados profissionais da Europa. São as últimas e mais consagradas pesquisas do ano que fazem rotina nas palestras e visitas diária do evento, apresentando aos estudantes uma bagagem de conhecimento imensurável.

A cerimônia de abertura marcada pelo dia 27 de julho, contou com a presença da Embaixadora Hayat Sindi e com o Dr. Rolf Landua, respectivamente representantes da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) e do CERN (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear), mostrando a grandiosidade do evento que ocorre anualmente em South Kensington. Os participantes puderam conhecer desde os assuntos mais discutidos pelos Direitos Humanos no mundo ao planejamento das maiores obras de infraestrutura no campo da Física, a serem estudadas na Europa.

Ontem o dia 28 de julho foi marcado pelo The Science Forum Bazaar, o momento em que os participantes podem expor projetos científicos e conhecer o que vem sendo estudado nos mais variados cantos do mundo. O Brasil contou com a representação de 10 projetos, distintos por diferentes áreas de abrangência, relevando a potencial dimensão da educação brasileira.

Jennifer Craco Santos e Alisson Velho Gomes (à esquerda), representando o Colégio La Salle do Carmo (RS); e Lucas Gabriel Bassan de Moraes e Maria Teresa Carvalho Velludo (à direita), representando a Escola Técnica Novo Horizonte (SP) no LIYSF.
Lia Simões Conrado dos Reis e Luiza Munhoz Crisci (à esquerda) e Juliana Scaff (à direita), representando o Colégio Jean Piaget (SP) no LIYSF.
José Carlos de Moura Goés e Gabriel Lemos Gomes (à esquerda), representando o Colégio Estadual Levindo Borba (GO); e Amarildo de Lima Oliveira Júnior, Flávia Cristina de Sousa Santos e Vitória Silva Alves (à direita), representando o Colégio Exato (GO) no LIYSF.
Leandro Sabei (à esquerda), representando o Instituto Federal do Rio Grande do Sul (RS); e Laura da Silva Krueger (à direita), representando a Escola Estadual Três Poderes (MG) no LIYSF.
Jandson Isaias Nunes de Araújo (à esquerda); e Luiz Fernando Nunes Silva e Marcos Antonio Nunes (à direita), representando a Escola Estadual Pedro II (RN) no LIYSF.

Conheçam em detalhes os projetos brasileiros aqui.

Não deixe de acompanhar o evento! A cobertura completa você poderá seguir com as matérias divulgadas aqui e pelos canais sociais da Rede POC, no Facebook e Instagram.

Guilherme Winter                                                                                    

Graduado em Arquitetura e Urbanismo (2017) pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)
Graduando em Engenharia de Produção pela Faculdades Integradas de Taquara (FACCAT)
Representante internacional da Rede POC
Coordenador da Delegação Brasileira no LIYSF 2017
E-mail: guilhermwinter@gmail.com

 

Conheçam a delegação brasileira do LIYSF 2017

Iniciou no dia 26 de julho, a 59ª edição do London International Youth Science Forum – LIYSF 2017. O LIYSF é o maior e mais prestigioso fórum científico juvenil internacional. Foi idealizado em 1959 pelo Imperial College – uma das cinco melhores universidades do mundo – para promover o interesse dos jovens pela Ciência. O tema do Fórum para 2017 será: “Science – Making Life Better” que abordará os vários aspectos do que se chama “descoberta científica” – desde a perspectiva do momento “eureca” até o seu entendimento como um grande e complexo empreendimento de sucesso de natureza colaborativa e internacional.

A Rede POC é a National Organizer Oficial do LIYSF para o Brasil, sendo responsável pela seleção e aprovação dos participantes brasileiros. Em 2017, temos alunos de 8 instituições de todo o país e que são fruto do programa de parcerias da Rede POC.

Um dos momentos mais importantes da programação é a noite de apresentação de projetos, o The Science Forum Bazaar, onde os participantes apresentam através de pôsters o projeto de investigação científica de sua autoria para os demais participantes de evento, bem como para o público em geral e avaliadores do Imperial College.

Conheçam os projetos brasileiros que integram a delegação de 2017:

Colégio La Salle do Carmo – Caxias do Sul – RS

Projeto: O uso da batata doce como polímero natural auxiliante na purificação da água

Autores: Jennifer Craco Santos e Alisson Velho Gomes

Orientador: Profa. Daniela Boff

 

CETI Levindo Borba   – Rubiataba – GO 

Projeto: Avaliação da aceitabilidade cultural de uma forma alternativa alimentar com base em insetos

Autor: Gabriel Lemos Gomes

Orientação: Matheus Fernando da Silva

 

Colégio Exato – Iporá – GO 

Projeto: ZIKA: um problema contornado

Autores: Flávia Cristina de Sousa Santos e  Vitória Silva Alves

Orientação: Amarildo de Lima Oliveira Júnior e Viviane Sousa Santos

 

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Câmpus Sertão (IFRS, Câmpus – Sertão)

Projeto: Technical assistance in the dairy production of Sertão/RS: challenges and opportunities

Autores: Leandro Sabei, Tiago Alexandre Spolti de Nardi e Frederico Trindade.

Orientador: Rosangela Poletto

Co-orientador: Raquel Breitenbach

 

Escola Estadual Três Poderes – Belo Horizonte -MG

Projeto: “Síndrome de Burnout: um estudo em professores de uma escola da rede pública de Belo Horizonte”

Autor: Laura da Silva Krueger

Orientadoras: Lívia de Oliveira Borges e Mariana Guedes Machado

 

ETEC  Profa. Marines Teodoro de Freitas Almeida – Novo Horizonte – SP 

Projeto: Treego

Autor: Lucas Gabriel Bassan de Moraes

Orientação: Maria Teresa Carvalho Velludo

 

E.E. Pedro II – Lajes/RN

Projeto: Propriedades do extrato glicólico feito a base da casca do neem (Azadirachta indica)

Autor: Jandson Isaias Nunes de Araújo

Orientador: Prof. Marcos Antonio Nunes

 

Projeto: Pulseira QR Code: Uma proposta para idosos com Alzheimer

Autor: Luiz Fernando Nunes Silva.

Orientador: Prof. Marcos Antonio Nunes

 

Jean Piaget – Santos – SP

Projeto: Chlorella and the potential harm caused by sunscreens

Autores: Ana Gabriela Tressmann Andrade, Lia Simões Conrado dos Reis e Luiza Munhoz Crisci

Orientadora: Mara Lúcia Zucheran Silvestri de Carvalho

Co-orientador: Reinaldo Lopes

 

Projeto: The value of edible remains: an analysis of the food waste during lunch break of secondary education students at Jean Piaget school in Santos – Brazil

Autores: Juliana Scaff, Clara Giani de Mello, Julia Campos Silva, Mélida Gonçalves e Samara Carvalho

Orientadora: Samara dos Santos Carvalho

Coorientadora: Hélida Ventura B. Gonçalves

 

A equipe Rede POC está acompanhada do Prof. Vinicius Ramos, diretor da Rede POC, e por Guilherme Winter, representante internacional da Rede POC e coordenador da delegação brasileira no LIYSF.

Gabriel Menegazzi Conceição                                                                                     Graduando em Zootecnia da Universidade Federal de Santa Maria   Representante internacional e editor do blog da Rede POC                                   Email: menegazzi@mail.ufsm.br